Com mais de 20 anos de história marcados pelo espírito do crescimento. Cada fase dessa evolução se reflete na imagem empresa. Tu sabe que o mundo está em constante transformação e nós não poderíamos fazer diferente.

Blog

Du Gaúcho / Curiosidades  / Especialistas desvendam mitos e verdades na hora de comprar calçados

Especialistas desvendam mitos e verdades na hora de comprar calçados

Você sabia que os pés costumam aumentar depois dos 20 anos? E que não são apenas os sapatos apertados que provocam calos? Pois é, existem vários mitos relacionados ao universo dos sapatos. Para não errar na hora de comprá-los, mais importante do que saber se o modelo está na moda é desvendar esses erros e acertos. Veja, abaixo, alguns deles.

Ao provar, os sapatos precisam estar um pouco largos para não apertar os pés depois
Errado. O solado precisa ter o formato aproximado do pé, nem mais nem menos, ou ficará desconfortável caminhar.

Depois da adolescência, calçaremos o mesmo número para sempre 
Errado. Segundo a ortopedista Cibele Réssio, especialista em pés e tornozelos e docente da Unifesp – Universidade Federal de São Paulo, a partir dos 20 anos 90% das pessoas aumentam o número do pé. “Da mesma maneira que nos pesamos, também precisamos medir os nossos pés com frequência. Só assim compraremos o calçado adequado”, diz ela.

Mulheres grávidas podem calçar até dois números a mais do que antes da gestação
Correto. E isto acontece não apenas pela retenção hídrica, que costuma ocorrer na gravidez, mas também pelo relaxamento dos ligamentos do tornozelo, reação automática do corpo para auxiliar no trabalho do parto.

Só sapatos muito apertados dão problema

Errado. Os folgados costumam provocar bolhas bastante dolorosas, resultado do atrito da pele com o calçado. “O calcanhar nunca pode sair do sapato”, afirma o ortopedista Fabiano Nunes, do Hospital Beneficência Portuguesa, de São Paulo.

A ponta dos dedos não pode encostar no final do calçado 

Certo. Na hora da compra, é importante verificar se há uma distância de, aproximadamente, 1,5 cm entre os dedos e ponta do sapato.  “Os dedos precisam desse espaço para se movimentar dentro do calçado. Se estão muito rentes à ponta, serão comprimidos, o que pode gerar calos e deformações”, fala Cibele Réssio, ortopedista e docente da Unifesp.

Apenas sapatos muito apertados provocam calos

Errado. Os sapatos de salto alto costumam provocar calos também, já que os dedos precisam se movimentar mais do que o ideal para dar estabilidade ao andar.

Sapatos e sandálias sintéticos provocam mau cheiro nos pés

Certo. O couro verdadeiro é mais poroso do que o sintético, permitindo aos pés “respirarem” melhor.  “Se o pé está sempre quente e úmido, ele escorrega dentro do calçado e também fica com chulé”, diz Lígia.  “O pé transpirou? Então é preciso secar o sapato. Se não secar, é como se a gente usasse uma camiseta dias seguidos e não a lavasse”, explica.

Calçados plásticos costumam provocar mau cheiro nos pés.

Certo. Em ambientes quentes e úmidos, sem ventilação, as bactérias proliferam, gerando o famoso chulé. Há plásticos mais e menos sofisticados, alguns podem ser perfumados para disfarçar o odor. Mas, na maioria dos casos, os calçados plásticos não só criam um ambiente propício ao chulé como também provocam escorregões. “É importante comprar sapato que deixa os pés respirarem”, diz Valesca Fonseca Nakad, coordenadora do curso de Design de Moda do Centro Universitário Belas Artes, em São Paulo.

 

(Fonte: UOL)

 

Sem comentários

Publicar um comentário